heroesmaker_emprego_post23

Home Office é a modalidade de emprego do futuro?

WordPress e outras grandes empresas de tecnologia já adotaram. Veja prós e contras.

Trabalhar em casa ou remotamente está se tornando rotina na realidade de muitas empresas de tecnologia do mundo. Recentemente, a Automattic, empresa que gerencia a plataforma WordPress decidiu fechar completamente seu escritório principal de São Francisco, Califórnia. Antes disso, a grande maioria dos seus mais de 500 empregados já trabalhavam fora do escritório, chegando ao ponto de terem apenas 5 funcionários a frequentarem sua sede fisicamente.

Como explica o CEO, Matt Mullenweg, o espaço com de mais 3 mil metros quadrados havia se tornado uma grande e custosa vitrine, desnecessária para o desenvolvimento do negócio.

Já a Elastic, empresa de Software, não possui sede física e emprega 500 funcionários em 35 países. Mas isso tem seu custo colateral. Para manter a sintonia entre todos os colaboradores, a empresa investe em dois encontros anuais, nos Estados Unidos ou Europa, normalmente. Para o CEO, Shay Banon, com interações via e-mail ou mensagens de texto, as disputas podem explodir rapidamente, pois você perde as expressões faciais que ajudam a amenizar a comunicação. Ele acredita ainda que estes encontros presenciais ajudam a amenizar o crescimento em escala dos conflitos.

Na contra – mão dessa tendência, temos a Yahoo!, que há 4 anos pôs fim ao trabalho remoto. Para obter melhores resultados, a CEO, Marisa Mayer, acredita que é preciso trabalhar lado a lado. A IBM é um outro exemplo de empresa que voltou atrás e decidiu que seus funcionários deveriam trabalhar dentro do escritório. A intenção foi tornar o trabalho mais ágil e promover a criatividade. Será que conseguiram?

 

| VEJA TAMBÉM: Crie um Super Currículo Grátis, com Design Profissional |

 

A realidade é que hoje os Estados Unidos possui ¼ da sua mão de obra trabalhando total ou parcialmente no modelo home office. A economia de tempo e dinheiro para o empregador e para o empregado são evidentes e a produtividade tem aumentado à medida que se desenvolve esta cultura corporativa.

O empregador economiza com manutenção de um espaço físico e seus custos marginais associados, como contratação de equipe de limpeza, recepção, etc. Economiza também em custos de viagem para deslocar sua equipe. Já o empregado economiza em transporte (quando não é fornecido pela empresa), em tempo gasto para chegar e voltar do trabalho, em alimentação e até em roupas, já que não precisará estar sempre tão bem arrumado para ir trabalhar. Trabalhando em casa, a concentração também pode ser maior, pois se evita o ruído de telefones e as inevitáveis interrupções de chefes e colegas de trabalho.

Mas os desafios são muitos.

Antes de tudo, é preciso uma maior regulamentação para evitar a insegurança jurídica e precarização do mercado de trabalho. Nos países mais desenvolvidos, já existem normativas específica para este tipo de trabalho. Mas no Brasil, onde uma reforma trabalhista polêmica acaba de se aprovada, é difícil que se consiga criar esta cultura do trabalho remoto, sem riscos para o trabalhador.

Por outro lado, o modelo home office exige muita autodisciplina e uma estrutura física mínima de qualidade para garantir os resultados constantes. A qualidade da internet, por exemplo, é um dos pontos chaves e não sempre é possível ser alcançado em todas as partes do país.

| GOSTOU? Conheça nosso Gerador de Currículos on-line. É fácil e é grátis! |

 

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado.Email address is required.